Dificuldade logística não se limita à transporte de carga – é questão de gestão

0

Por Diogo Louro *          Basta uma rápida olhada nas principais notícias e pesquisas relacionadas à logística no Brasil para constatar que a maioria dos desafios citados na área passa por questões inerentes às empresas. Poucos modais no país, má qualidade do asfalto, dependência do transporte rodoviário, entre outros são apenas alguns exemplos. Com isso, os obstáculos relacionados ao transporte de carga contam apenas uma parte da história. Um bom processo logístico também depende da boa gestão das empresas, permitindo uma maior visibilidade das operações, garantindo mais transparência e ganho contínuo de eficiência.

Dois fatores explicam essa situação. O primeiro deles está relacionado à questão cultural, fazendo com que os profissionais tenham mais facilidade em identificar problemas externos e mais dificuldade em assumir seus próprios erros. Além disso, há o fato de que as pessoas que atuam na área logística não conseguem ter a visibilidade efetiva de todas as operações e processos. Assim, não podem identificar e mensurar os problemas gerados pela falta de uma gestão adequada – em muitos casos, o controle dessa operação encontra-se na mão de terceiros.

Para que essa mudança aconteça, é necessário promover a importância de se ter uma visão completa dos processos, abrangendo tanto as questões internas quanto externas. Se por um lado a qualidade das estradas e caminhões não possui tanta ingerência e tem difícil solução devido às características geográficas e particularidades do país, as questões internas podem ser resolvidas com ações que não dependem de outras partes, otimizando a operação da empresa. Os investimentos iniciais para desenvolver uma boa gestão logística são significativamente baixos na comparação com os ganhos, inclusive financeiros, que podem ser alcançados com a prática.

Uma boa gestão logística permite a empresa ter um controle estruturado de sua operação com mais visibilidade dos problemas existentes, tornando possível o direcionamento e priorização de ações preventivas e corretivas visando a melhoria contínua dos seus processos. Tendo como consequência a otimização do nível de serviço e a possibilidade de redução de custos. A tecnologia é um elemento-chave para isso. Somente por meio dela é possível ter mais transparência em tempo real, permitindo uma postura ativa frente às ocorrências do dia a dia, uma visão estratégica frente aos resultados e à performance dos negócios.

Para isso, os gestores devem estar atentos a uma série de práticas que precisam ser executadas rotineiramente dentro da empresa. É essencial, por exemplo, ter um mindset de melhoria incremental contínua, o que permite a redução de ineficiências nos processos logísticos. Também é fundamental estar aberto à inovação, acompanhando os movimentos globais de adoção de Internet das Coisas (IoT), Blockchain, entre outros recursos que trazem mais eficiência para o setor, além de desenvolver parcerias com os prestadores de serviço e capacitar constantemente os seus colaboradores.

O transporte de cargas é importante para a logística de uma empresa justamente por ser a ponta final, aquela que vai levar os produtos aos clientes, ou seja, qualquer erro compromete toda a operação. Contudo, um bom processo logístico começa dentro da organização, com gestão e o uso correto de tecnologia para otimizar e automatizar a área. Corporações que percebem isso com antecedência se destacam em seus segmentos e conseguem, assim, estimular novos negócios.

* Diogo Louro é Head de Logística na Nimbi, empresa de tecnologia especializada em supply chain management, com soluções que aumentam a produtividade e geram economia para as organizações

Compartilhe.

Escreva um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.