Recursos liberados para financiamento somam R$ 9,7 bi em janeiro

0

Com a economia se restabelecendo aos poucos, o mercado vem aumentando os índices de liberação de crédito. Em janeiro, por exemplo, foram liberados R$ 9,7 bilhões em operações CDC, o que representa uma alta de 33,8% em relação ao mesmo período do ano passado.

Desse total, R$ 8,5 bilhões foram destinados às pessoas físicas, o que corresponde a uma alta de 28,2% em relação a janeiro de 2017. Para as pessoas jurídicas foi liberado R$ 1,2 bilhão, volume 95% superior ao registrado no mesmo período do ano passado.

“Depois de três anos de recessão, as vendas financiadas voltaram a crescer. Isso é reflexo da redução da taxa básica de juros e de outros indicadores econômicos, que começam a ganhar novamente a confiança do consumidor”, afirma o presidente da ANEF (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras), Luiz Montenegro.

De acordo com o presidente da entidade, essa retomada da confiança influencia, inclusive, no tempo do contrato: “A tendência é que o consumidor volte a optar por financiamentos em prazos mais extensos, justamente por conta da estabilização da economia”, explica. O prazo médio das concessões é de 42,6 meses. Já o prazo máximo oferecido pelos bancos é de 60 meses.

Na carteira de leasing foram liberados R$ 129 milhões, alta de 24% em doze meses. Para as pessoas físicas, foram destinados R$ 29 milhões, volume 16% superior em doze meses.  Para pessoas jurídicas foram liberados R$ 100 milhões, alta de 26,6% em doze meses.

Saldo das carteiras

O saldo das carteiras totalizou R$ 172,6 bilhões, dos quais R$ 169 bilhões foram destinados para as operações de CDC e R$ 3,9 bilhões para o leasing. Esse indicador corresponde a 2,6% do PIB (Produto Interno Bruto) e se manteve igual ao mesmo período do ano passado. Esse resultado equivale a 5,6% do total do crédito do SFN (Sistema Financeiro Nacional) e 11% do total das operações de crédito – Recursos Livres.

Inadimplência

O índice de inadimplentes nas operações de financiamento no mês de janeiro ficou em 3,8%, queda de 0,9 ponto percentual nos últimos doze meses. Na carteira de leasing, a taxa foi de 2,3%, o que representa uma redução de 1,5 ponto percentual em doze meses.

A taxa de inadimplência para pessoas jurídicas foi de 2,8% para financiamentos e 1,6% para leasing. Representando queda de 2,1 pontos percentuais (CDC) e 2,2 (leasing) em doze meses.

Taxas de juros

As taxas praticadas pelos bancos ligados às montadoras continuam mais atraentes para o consumidor na comparação com as instituições independentes. Em janeiro, as entidades associadas à ANEF cobraram juros de 18,85% ao ano e 1,45% ao mês, enquanto os independentes trabalharam com 22,70% e 1,72%, respectivamente.

Sobre a ANEF
Fundada em 1993, a ANEF representa as suas marcas associadas junto aos órgãos do governo, de entidades de classe e associações congêneres, divulga, esclarece e presta informações, tanto à imprensa quanto aos consumidores em geral, sobre as modalidades de financiamentos – CDC (Crédito Direto ao Consumidor), Finame, Leasing e Consórcio –, nos segmentos de automóveis, ônibus, caminhões e motocicletas. A entidade representa, hoje, 16 marcas e suas respectivas estruturas de serviços financeiros, incluindo bancos, empresas de arrendamento mercantil e administradoras de consórcios vinculados à indústria automotiva.

Fonte: ANEF

Compartilhe.

Escreva um comentário