Workshop da COMJOVEM SP mostra Blockchain desenvolvida para o TRC

0

Evento, realizado em parceria com a Intelipost, apresentou como a aplicação da tecnologia pode beneficiar o setor

Para quem achava que Blockchain era apenas uma tecnologia de armazenamento das transações em bitcoins e esteve no Workshop da COMJOVEM SP nesta última terça-feira (29), descobriu que a ferramenta vai muito além disso, e pode ser usada também como um fator estratégico na cadeia de transportes.

O evento, realizado na sede do SETCESP, apresentou as diversas aplicações da blockchain no transporte rodoviário de cargas no mercado brasileiro e, ainda, as principais soluções globais viabilizadas pela ferramenta.

Na abertura do evento, o presidente do SETCESP, Tayguara Helou, chamou o primeiro palestrante comentando a importância do desenvolvimento do sistema viabilizado pela blockchain, que atribui uma classificação aos motoristas: “a gameficação ajuda as empresas a contratarem melhor os seus motoristas autônomos e agregados, e permite que as próprias transportadoras compartilhem informações entre si”.

Assumindo o primeiro painel, Carlos Rischioto, técnico da Plataforma de Blockchain da IBM no Brasil, apresentou a palestra Tendência Global em Blockchain e contou a história da tecnologia e as suas funcionalidades. “Quando estamos falando de blockchain, a primeira coisa que o empresário deve pensar é com quem ele faz negócio, porque blockchain é uma tecnologia que nasceu para ser distribuída, e só faz sentido quando é trabalhada em rede”, declarou.

Na sequência, abordando Blockchain no Brasil, Carl Amorim, do Blockchain Research Institute –  Brasil (BRI), palestrou sobre as funcionalidades e novas propostas da blockchain no país. “A inovação não é uma nova tecnologia; nova tecnologia é a mudança cultural que ela gera”. Carl, concordando com a posição de Rischioto, fez questão de destacar que “na blockchain, ninguém faz nada sozinho”.

No terceiro painel, Stefan Rehm, CEO da Intelipost, apresentou os principais casos de uso da tecnologia no Brasil e suas aplicabilidades no TRC: “a blockchain é uma base igual a um banco dados, mas apesar de compartilhada, é uma rede segura, algo que serve para conectar registros e foge ao comum porque é descentralizada”, explicou o CEO da consultoria.

Blockchain no Transporte

Como produto de todo o trabalho desenvolvido pela parceria entre SETCESP e Intelipost, foi criada a plataforma de Gameficação de Motoristas e o público presente pôde acompanhar, ao vivo no evento, como o modelo funciona. Nela, a empresa pode inserir informações dos seus motoristas e também pesquisar a avaliação de outros profissionais com o CPF. A plataforma foi apresentada por Jonathan Chevalier, Líder de Blockchain da Intelipost. Na ocasião, ele lembrou que “estamos aqui para mostrar como as informações operacionais e comportamentais podem ser registradas e avaliadas”.

Finalizando, e também esclarecendo a utilização da plataforma, o vice-coordenador da COMJOVEM SP, Luis Felipe Machado, comentou que o motorista é a peça chave para o setor e, por isso, a blockchain elaborada com a finalidade de conhecer melhor o condutor do veículo de carga. “Isso pode significar uma redução de tempo e, por consequência, custo na hora de contratar um motorista. Mas, para isso, é essencial a adesão das transportadoras”, concluiu.

Clique aqui para ver as apresentações realizadas durante o Workshop.

Fonte: SETCESP

Compartilhe.

Escreva um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.